Açores participam em reunião no Brasil para formalização do Air Center

Açores participam em reunião no Brasil para formalização do Air Center

 

Lusa/AO online   Regional   13 de Nov de 2017, 17:14

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia vai representar o Governo dos Açores na próxima semana, no Brasil, onde vai ser formalizado o Air Center, Centro de Investigação Internacional do Atlântico, a instalar no arquipélago.


"Este é um projeto algo ambicioso que demorará vários anos, não é uma coisa que se faça de um dia para o outro, porque depende da vontade de vários países", explicou Gui Menezes, na Horta, ilha do Faial.

O governante, que foi ouvido esta segunda-feira na Comissão de Assuntos Parlamentares, Ambiente e Trabalho, no âmbito das audições sobre as propostas de Plano e Orçamento para 2018, adiantou que esta reunião vai permitir acordar os termos de um "memorando de entendimento" entre os vários países que vão aderir ao projeto.

"O projeto é conhecido de todas as partes que têm concordado com os documentos que têm sido produzidos e as áreas científicas que o centro pretende abranger", declarou Gui Menezes, adiantando que para o Governo dos Açores "é muito importante que este projeto se desenvolva, atendendo à sua dimensão e a à sua abrangência".

O Centro de Investigação Internacional do Atlântico, que terá sede nos Açores, conta com o envolvimento de dez países fundadores: Portugal, Espanha, Reino Unido, Brasil, Argentina, África do Sul, Nigéria, Angola, Cabo Verde e Índia, e terá dois membros associados, a Agência Espacial Europeia e a Organização Indiana de Pesquisa Espacial.

O Air Center vai dedicar-se à investigação de quatro áreas-piloto: observação da Terra, mudanças climáticas, mar profundo e análise de dados.

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia destacou, por outro lado, o reforço de verbas previsto nos documentos orçamentais para o próximo ano na área das pescas, para a realização de obras em portos e entrepostos frigoríficos, que vão permitir melhorar a qualidade do pescado capturado nas ilhas.

"Há um reforço no setor das pescas e uma diminuição nas outras áreas [Ciência e Tecnologia], principalmente devido a algumas obras que já estão concluídas, e isso tem um reflexo no Plano e de Investimentos", explicou o governante, referindo-se à conclusão do Parque Tecnológico da Ilha Terceira.

O Orçamento da Região para o próximo ano ascende a 1.292 milhões de euros, dos quais 503 milhões estão inscritos no Plano de Investimentos (753 milhões, incluindo os fundos comunitários).

O debate das propostas de Plano e Orçamento para 2018 vai decorrer, no parlamento dos Açores, na última semana deste mês.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.