Insolvências e novas empresas diminuem em março mas aumentam no primeiro trimestre

Insolvências e novas empresas diminuem em março mas aumentam no primeiro trimestre

 

Lusa/AO online   Economia   10 de Abr de 2018, 14:10

O número de ações de insolvência no mês de março de 2018 registou uma redução de 10% face ao mês homólogo de 2017, apontou um estudo divulgado hoje que salientou também a diminuição de novas empresas.

O estudo da Iberinform assinalou a diminuição em 10,2% nas insolvências de empresas em Portugal no mês de março, 607, menos 69 que em igual período de 2017.

Já no primeiro trimetre o número total de empresas em insolvência aumentou 1,2% em relação ao mesmo período no ano anterior.

Das 1.082 empresas que declararam insolvência no primeiro trimestre, a maioria encontra-se nas regiões de Lisboa e Porto.

Na região de Lisboa verificou-se uma diminuição de 2,5%, para 542 empresas em insolvência, números superiores à região do Porto, que, onde se registou um aumento de 4,2%, para 397 sociedades insolventes.

No primeiro trimestre, os setores das Telecomunicações(-33%), Hotelaria e Restauração (-13%) e Transportes (-7%) foram aqueles onde se verificou uma maior redução no número de insolvências.

Já os setores que registaram mais insolvências no primeiro trismestre foram a Indústria Extrativa (+100%), Agricultura, Caça e Pesca (+23%) e Eletricidade, Gás, Água (+17%).

Quanto ao número de novas empresas este também diminuiu em março, estando as 4.164 sociedades criadas 1,8% abaixo das 4.239 constituídas no mesmo período de 2017.

No primeiro trimestre, no entanto, verificou-se um crescimento de 9,4% de empresas criadas.

Também na criação de empresas os distritos de Lisboa e do Porto têm destaque, com a região de Lisboa a ser responsável por mais de 34% das novas constituições e a região do Porto por aproximadamente 20% das 13.213 novas empresas.

Outros Serviços (+14,8%), Construção e Obras Públicas (+18,2%) e Hotelaria e Restauração (+12,4%) foram os setores em que mais empresas foram criadas no primeiro trimestre.

As únicas descidas verificadas neste período registaram-se nos setores da Agricultura, Caça e Pesca (-39,6%), Eletricidade, Gás e Água (-14%) e Comércio a Retalho (-5%).



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.