Gorreana cria novo chá para ajudar a relaxar e a manter cérebro ativo

Gorreana cria novo chá para ajudar a relaxar e a manter cérebro ativo

 

Paula Gouveia   Regional   6 de Jul de 2018, 11:27

Professor da UAç vai ajudar a Gorreana a criar novo chá mais rico num aminoácido que potencia funções cognitivas do cérebro

Com base na investigação que José Baptista, professor da Universidade dos Açores (UAç), tem desenvolvido sobre as propriedades do chá da ‘Camellia sinensis’ dos Açores, a fábrica de chá Gorreana vai produzir um novo tipo de chá com propriedades relaxantes e benéficas para a saúde, nomeadamente para reduzir os efeitos do declínio das funções cognitivas e da degenerescência cerebral, que aumentam com a progressão da idade, assim como os riscos dos efeitos negativos das doenças de Alzheimer e Parkinson.
O projeto será candidatado ao Prorural +, pela Fábrica de Chá da Gorreana. José Baptista explica que desenvolveu um estudo comparativo do chá dos Açores com chás de outros países e verificou que “o nosso chá tem um teor de polifenóis que, no caso particular do chá da ‘Camellia sinensis’ tem o nome de catequinas, superior aos outros. Há um muito parecido na China, na província de Fujian que também fica junto ao mar, mas tem três vezes mais cafeína do que o da Gorreana”, explica o investigador.
“Apercebi-me também de uma outra característica: o chá dos Açores é menos adstringente, isto é, quando se bebe o chá sem açúcar que é assim que se deve beber, ele é menos amargo. O que me levou a pensar que o chá dos Açores deveria ter um aminoácido que é ligeiramente adocicado e que só existe na folha do chá e numa variedade rara de cogumelos - a L-Teanina”, revela José Baptista.
Este aminoácido, derivado do ácido glutâmico e da etilamina, produzido na raiz da planta, pode atravessar a barreira hematoencefálica e chegar rapidamente ao cérebro, meia hora após a sua ingestão, tendo a propriedade de estimular neurotransmissores responsáveis pela sensação de relaxamento e bem-estar, como a dopamina, serotonina, o ácido gama-aminobutírico (GABA) e ainda induzir o aumento das ondas alfa do cérebro ajudando a reduzir a ansiedade e a controlar o stress com diminuição do nervosismo e da insónia.
Adicionalmente a L-Teanina favorece a concentração e o estado de alerta, isto é não provoca sonolência nem falta de coordenação cerebral, sendo então extremamente útil para todos, e particularmente para seniores, onde a diminuição da ação dos neurotransmissores referidos tem como consequência uma diminuição das funções cognitivas.
A L-Teanina possui ainda certa atividade antioxidante com efeitos benéficos no combate à ação dos radicais livres.
Quando conseguiu ter acesso ao aminoácido puro, foi possível quantificar a sua presença nos chás de diferentes proveniências. E José Baptista chegou à conclusão de que tinha razão: “o nosso era superior aos outros chás - o mais próximo era o de Taiwan”.
O chá dos Açores possui este aminoácido em maior quantidade, concluiu o investigador que agora vai ajudar a Gorreana, no desenvolvimento de um processo de secagem, a temperaturas mais baixas, que permita preservar a maior quantidade possível deste aminoácido e monitorizar o teor presente nas folhas do chá.


Notícia publicada na edição de 18 de setembro de 2017 do Açoriano Oriental


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.