Deputado do PPM nos Açores ausente do Dia da Região em “sinal de protesto”

Deputado do PPM nos Açores ausente do Dia da Região em “sinal de protesto”

 

Lusa/AO online   Regional   15 de Mai de 2018, 17:08

O deputado do PPM à Assembleia Legislativa dos Açores anunciou esta terça-feira que irá votar contra a lista de condecorados para o Dia da Região e que estará ausente das cerimónias, marcadas para 21 de maio, em "sinal de protesto".

Em conferência de imprensa na cidade da Horta, Paulo Estêvão explicou que em causa está o facto de a bancada da maioria socialista no parlamento açoriano ter "escondido" a lista de condecorados de alguns partidos da oposição e de ter recusado o único nome proposto pelo PPM.

"Acho que este processo é uma vergonha para o parlamento e é uma vergonha para a autonomia", lamentou o deputado monárquico, acusando o líder da bancada do PS, André Bradford, de ter conduzido o processo de forma "caótica e mal-intencionada".

Paulo Estêvão disse que os socialistas não procuraram consensos em torno dos nomes propostos para serem agraciados com as insígnias honoríficas açorianas e que só divulgaram a lista numa altura em que os homenageados já tinham sido convidados pelo parlamento.

"Por isso, vou votar contra a lista de agraciados e também, em protesto, não estarei presente no Dia da Região, porque não vou participar numa festa em que, em vez da bandeira dos Açores, devia lá ter a bandeira e os símbolos do Partido Socialista", acrescentou o deputado do PPM.

Confrontado com estas críticas, em declarações aos jornalistas, à margem do plenário do parlamento, reunido na Horta, o líder da bancada do PS desvalorizou as acusações do deputado monárquico, recordando que já não é a primeira vez que Paulo Estêvão se opõe à lista de condecorados.

"O senhor deputado Paulo Estêvão já votou duas vezes contra a lista final de atribuição de insígnias, por uma razão ou por outra, por não concordar com uma ou outra instituição ou personalidade a distinguir", recordou André Bradford, que entende que "isso é legítimo", embora considere que "não justifica uma tomada de posição desta ordem".

O líder parlamentar socialista referiu que o processo decorreu da mesma forma do que nos anos anteriores e lembrou que tem sido o seu grupo parlamentar que tem "gerido o processo" de "busca de consensos", por ter maioria absoluta, mas recusou que o seu partido tenha escondido o que quer que seja aos restantes partidos.

As cerimónias do Dia da Região vão decorrer, este ano, no dia 21 de maio, feriado regional, na vila da Madalena, ilha do Pico, mas a lista de homenageados ainda não foi aprovada pelo parlamento, o que deverá acontecer ainda esta semana.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.