Adriana Calcanhotto e criadores açorianos em destaque no Teatro Micaelense

Adriana Calcanhotto e criadores açorianos em destaque no Teatro Micaelense

 

Lusa/AO online   Cultura e Social   9 de Jan de 2018, 17:08

A cantora brasileira Adriana Calcanhotto é uma das atrações da programação do Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, para 2018/2019, sala que vai privilegiar um “novo ciclo” de criadores regionais.

“O que fizemos foi um convite para auscultar a comunidade artística para projetos que não fossem conhecidos. Estamos atentos mas é uma forma de ter acesso a criadores que eventualmente não conhecemos. Chegaram uma série de propostas bastante interessantes que foram programadas”, declarou à agência Lusa o responsável do teatro açoriano, Alexandre Pascoal.

O presidente do conselho de administração do Teatro Micaelense referiu, na sequência da apresentação da programação do espaço cultural, que se pretende “balancear a programação entre propostas regionais, nacionais e algumas internacionais”, considerando que a sala de espetáculos “só faz sentido se ser for habitada pela comunidade artística local".

Para o responsável pelo Teatro Micaelense assiste-se nos Açores, nos últimos anos, a um “trabalho de profissionalização da atividade cultural” por parte de vários agentes culturais.

O Teatro Micaelense vai acolher a extensão do Cinanima - Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho, a par da Rui Massena Band, que escolheu o Teatro Micaelense como um dos seis espaços nacionais de lançamento deste novo projeto em formato banda.

Paulo Abreu irá apresentar “I Don’t Belong Here”, um documentário sobre os bastidores da peça de teatro com o mesmo nome, montada por Dinarte Branco e Nuno Costa Santos, que conta as histórias de vida de deportados dos Estados Unidos e do Canadá para os Açores.

A companhia de teatro Cães do Mar, com sede da ilha Terceira, o Quarteto X, de Jorge Lima, a Commedia à La Carte e uma nova coreografia de Maria João Gouveia, para o "37.25 | Núcleo de Artes Performativas", numa interpretação contemporânea de “As Fadas”, de Antero de Quental, constituem outros momentos da programação.

Alexandre Pascoal disse que vão regressar ao palco do Teatro Micaelense o Prémio de Artes Visuais Medeiros Cabral, a soprano Helena Castro Ferreira e o pianista André Costa, com a Ópera “La Voix Humaine/A Voz Humana”, de Francis Poulenc, sobre texto de Jean Cocteau, a par do Ciclo de Cinema O Filme da Minha Vida, com “As Vinhas da Ira”, um clássico de John Ford, sobre o romance de John Steinbeck, escolhido pelo realizador Emanuel Macedo.

O Teatro Micaelense recebe também o músico Luís Gil Bettencourt, e vai realizar um baile de máscaras no Carnaval, com a Sinfonietta de Ponta Delgada, sob a direção do maestro Jean Sebastien Béreau, para um programa preenchido com obras de Rossini, Mozart e Beethoven.

O Coral de São José vai promover um concerto de primavera, com direção musical de Luís Filipe Carreiro e de Mariana Leite, do festival Tremor.

Adriana Calcanhotto, que já esteve em Ponta Delgada em 2008 e 2013, volta a optar pelo Teatro Micaelense, a par do Centro Cultural de Belém e do Coliseu do Porto, para a apresentação do seu novo espetáculo “A Mulher do Pau-Brasil”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.