Trabalhadores à porta da Cofaco na Madalena do Pico em defesa dos postos de trabalho


 

Lusa/AO Online   Regional   12 de Jan de 2018, 19:24

Cerca de 150 funcionários da conserveira Cofaco concentraram-se hoje à porta da empresa, na Madalena do Pico, Açores, em luta pela defesa dos postos de trabalho, depois de um plenário de trabalhadores.

"Queremos os nossos postos de trabalho", gritavam os cerca de 150 trabalhadores que fazem parte do grupo de 180 que foram informados na passada terça-feira de que seriam despedidos da Fábrica da Cofaco, dona da marca Bom Petisco, na Madalena, na ilha do Pico.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Alimentação, Bebidas e Similares, Comércio, Escritórios e Serviços dos Açores (SABCES/Açores), Vítor Silva, os funcionários ainda acreditam que é possível salvaguardar os postos de trabalho, estando previstas algumas ações para contrariar o despedimento coletivo anunciado.

"Na próxima quarta-feira vamos voltar a fazer um plenário no sindicato que vai contar com a presença do secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, e depois uma representação deste plenário vai à Assembleia Legislativa Regional (ALRAA) entregar um documento à senhora presidente da ALRAA, a todas as forças politicas e ao presidente do Governo Regional para que de facto se perceba o que é que está a aqui a acontecer e para que de facto toda a gente perceba o que é que os trabalhadores querem a manutenção dos seus postos de trabalho, salvaguardar o emprego no Pico e nos Açores", afirmou.

Vítor Silva fala num sentimento dos trabalhadores "de dupla traição" por parte da Cofaco, que "nunca dialogou com trabalhadores", e pela "atuação" do Governo Regional dos Açores.

"Quem tem sido também o porta-voz da própria empresa é o senhor secretário regional do mar, ciência e tecnologia e aquilo que disse até agora nunca foi para defender os postos de trabalho, foi salvaguardar os direitos dos trabalhadores dando informação do que eles podem receber como indeminização, os trabalhadores não querem indeminização, querem o seu posto de trabalho", acusou.

O sindicalista defende que o Governo Regional dos Açores deve "garantir o máximo de postos de trabalho" para evitar uma situação "dramática" do ponto de vista social e económico para o concelho da Madalena e para a ilha do Pico.

"Uma ilha como a ilha do Pico tem 14 mil habitantes, nós estamos aqui a falar direta e indiretamente de mais de 4,5% da população ativa, nós estamos aqui a falar de quase 8% da população activa do concelho da Madalena, portanto são números muito significativos ", lembrou.

A administração da conserveira Cofaco informou esta terça-feira que iria proceder ao "despedimento coletivo" dos 180 trabalhadores da empresa.

A fábrica Cofaco, no concelho da Madalena, na ilha do Pico, vai manter os trabalhadores até abril, altura em que arrancam as obras para a construção da nova unidade industrial.

Os trabalhadores da conserveira Cofaco em Rabo de Peixe, na ilha de São Miguel, admitem fazer greve em solidariedade para com os quadros da empresa abrangidos pelo despedimento coletivo no Pico.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.