Taxa de desemprego nos Açores é a mais baixa desde 2011

Taxa de desemprego nos Açores é a mais baixa desde 2011

 

LUSA/AO online   Regional   8 de Nov de 2017, 13:40

A taxa de desemprego registada no terceiro trimestre nos Açores é a mais baixa desde 2011, disse hoje o presidente do Governo Regional, que anunciou a realização de um Conselho do Governo extraordinário para novas medidas na área do emprego.

“São dados que consideramos positivos e que, conforme ainda recentemente tive oportunidade de referir, demonstram que progressivamente estamos a vencer e a concretizar os objetivos que temos para o nosso desenvolvimento, o objetivo de criação de emprego”, afirmou aos jornalistas Vasco Cordeiro.

A taxa de desemprego no país caiu para 8,5% no terceiro trimestre, uma redução de 0,3 pontos percentuais face ao trimestre anterior e de 2 pontos em comparação com o período homólogo, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE). Nos Açores essa taxa foi de 8,2%, descendo 1,8 pontos percentuais face ao trimestre anterior e 2,5 pontos percentuais comparativamente ao trimestre homólogo de 2016.

“Essa é uma taxa que está abaixo da média nacional (…). No caso dos Açores é a taxa mais baixa desde o primeiro trimestre de 2011”, salientou Vasco Cordeiro, destacando que esta “diminuição acentuada da taxa de desemprego acontece simultaneamente com dois outros elementos, “um aumento muito significativo da população empregada” – a maior desde 2008 – e “um aumento da população ativa”.

Para o chefe do executivo açoriano, o facto de descer a taxa de desemprego quando sobe a população empregada e a população ativa “é bastante significativo desse trajeto de sustentabilidade” que tem sido feito na criação de emprego.

Vasco Cordeiro reconheceu que a taxa hoje anunciada pelo INE “significa que ainda há açorianos desempregados e, desse ponto de vista”, há a necessidade de “tomar medidas, de construir soluções que, da mesma forma que ajudaram a criar emprego para estas outras situações, também continuem a ajudar” a diminuir a taxa de desemprego.

Por outro lado, apontou que nestas matérias há questões como a “precariedade e a qualidade do emprego” e a “remuneração do emprego”, informando que este mês haverá um Conselho do Governo extraordinário “especificamente dirigido à análise e aprovação de medidas” no sentido de reforçar a ação do executivo açoriano “para criar, ainda, mais emprego” e trabalhar nas componentes da precariedade e da remuneração.

O presidente do executivo açoriano adiantou que “há apenas três anos, no primeiro trimestre de 2014”, a taxa de desemprego nos Açores era de 18%.

“Hoje estamos com 8,2%. Isso é fruto de um trabalho que não é exclusivo do Governo, é também um trabalho dos privados, é a economia que cria emprego”, declarou, para assinalar que “as medidas postas em prática” levaram “a que os Açores passassem da região que tinha a taxa de desemprego mais alta do país para uma das regiões que tem a mais baixa taxa de desemprego do país”.

Vasco Cordeiro rejeitou que os programas ocupacionais contribuam para a descida hoje anunciada.

“Tem havido uma redução também muito significativa naquela que é a utilização de programas desse tipo”, afirmou.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.