Governo dos Açores diz que verbas para a agricultura dão “resposta aos desafios do setor"

Governo dos Açores diz que verbas para a agricultura dão “resposta aos desafios do setor"

 

Lusa/AO online   Regional   13 de Nov de 2017, 17:26

O secretário da Agricultura e Florestas dos Açores considera que as verbas inscritas nas propostas de Plano e Orçamento regionais para 2018 "vêm dar resposta aos desafios do setor", minimizando críticas das associações agrícolas.


João Ponte, que falava aos jornalistas na Horta, esta segunda-feira, após uma audição na Comissão de Economia do Parlamento dos Açores, no âmbito das audições sobre os documentos orçamentais, exemplificou com a duplicação de verbas destinadas à modernização das explorações agrícolas açorianas.

"Há verbas importantes para aquilo que é a modernização dos investimentos promovidos pelos próprios agricultores. Falo na rede de caminhos agrícolas, abastecimento de água e energia, onde há um crescimento superior a 130%, ou seja, o valor de 2018 mais do que duplica em relação a 2017", frisou João Ponte.

O governante apontou, ainda, as ajudas diretas aos agricultores, na ordem dos 28 milhões de euros, o apoio às associações e os investimentos na rede regional de abate.

"Este plano é muito virado para a modernização, para a componente daquilo que tem a ver com a competitividade e com a redução dos custos da atividade", argumentou o secretário da Agricultura e Florestas, acrescentando que este "conjunto de apoios" é fundamental para a melhoria da competitividade do setor.

João Ponte reconheceu que a produção agrícola nos Açores "tem custos associados muito grandes", superiores aos registados no resto do país e na Europa, razão pela qual as ajudas comunitárias no âmbito do programa POSEI - Programa de Opções Específicas para o Afastamento e a Insularidade nas Regiões Ultraperiféricas e também as "ajudas diretas" do Governo Regional são "fundamentais" para a manutenção desta atividade e para a economia da região.

Ainda assim, considera natural que as associações agrícolas da região manifestem o seu desagrado em relação aos valores inscritos nas propostas de Plano e Orçamento para 2018 e reivindiquem um aumento de transferências para o setor.

"Isso é perfeitamente natural, cabe às associações a defesa do setor, mas do ponto de vista do Governo é preciso assegurar um equilíbrio", sustentou João Ponte, admitindo que "qualquer secretário gostaria de ter mais milhões no seu orçamento" para distribuir pelos diferentes setores de atividade.

O secretário regional da Agricultura e Florestas acrescentou que compete ao executivo açoriano gerir os dinheiros públicos com equilíbrio, procurando "ajustar a despesa à receita" da região, garantindo a "sustentabilidade" do arquipélago.

As propostas de Plano e Orçamento para 2017 serão discutidas e votadas no Parlamento dos Açores entre 28 e 30 de novembro.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.