Estudantes da Lagoa em missão de etiquetagem de árvores de natal

Estudantes da Lagoa em missão de etiquetagem de árvores de natal

 

Miguel Bettencourt Mota   Regional   6 de Dez de 2017, 13:51

Alunos do 11º ano da Escola Secundária da Lagoa participaram esta quarta-feira numa ação de plantação e certificação de criptómérias, que serão, a devido tempo, vendidas como árvores de natal devidamente etiquetadas.


 A iniciativa decorreu no Chã da Macela, no concelho da Lagoa, e está integrada na campanha 'Árvore de Natal Naturalmente Legal' que vem sendo promovida, desde 2010, pela Direção Regional dos Recursos Florestais.

“As árvores que Natal que estão à venda saem de uma floresta gerida de forma sustentável, são cortadas por não estarem bem-adaptadas ou estarem malconformadas e a sua retirada permite que as restantes árvores se desenvolvam bem”, afirmou a diretora regional dos Recursos Florestais, citada por uma nota de imprensa do Gabinete de Apoio à Comunicação Social (GACS).

Anabela Isidoro - que tal como o secretário regional da Agricultura e Florestas, João Ponte, também participou nesta iniciativa - salientou ainda que a etiquetagem numerada e inviolável das árvores à venda na quadra de Natal, assegura aos consumidores que elas são provenientes de áreas de corte devidamente autorizadas, facilitando também a fiscalização junto dos postos de venda.

De acordo com a nota de imprensa do GACS, anualmente são colocadas cerca de 4000 etiquetas em criptomérias para venda, das quais cerca de 1400 correspondem a árvores cortadas em terrenos privados.

Nos últimos quatro anos foram plantadas cerca de três milhões de árvores no arquipélago, a maioria criptomérias, mas também resinosas, folhosas e endémicas.

 




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.