El Açor traz seis tunas do país e 200 tunos a São Miguel

El Açor traz seis tunas do país e 200 tunos a São Miguel

 

Miguel Bettencourt Mota   Cultura e Social   14 de Mar de 2018, 08:05

A Tuna Masculina da Universidade dos Açores – 'Os Tunídeos' leva a efeito, nos próximos dias 16 e 17 de março, a décima nona edição do El Açor, fazendo subir ao palco do Coliseu Micaelense seis tunas masculinas a concurso, oriundas de várias academias do país.

Serão, assim, cerca de duzentos os elementos que virão propositadamente de Portugal continental para participar no certame, que tem como ponto alto os espetáculos de sexta-feira e de sábado, mas que se inicia já esta quinta-feira com uma cerimónia de recepção às tunas na Câmara Municipal de Ponta Delgada, pelas 14h30.

Este ano, TAIPCA - Tuna Académica do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave; TS - Tuna de Tecnologia de Saúde do Porto; EUC – Estudantina Universitária de Coimbra; FAN-farra Académica de Coimbra; TUCP – Tuna Universitária Católica Portuguesa – Porto e TAFUL – Tuna Académica de Farmácia da Universidade de Lisboa , compõem o lote de tunas a concurso no El Açor.

São todas "tunas que tocam diversos tipos de música, com uma animação e formas de interação diferentes com o público", adiantou o magister dos Tunídeos, Bruno Oliveira, em entrevista a este jornal.

Como acrescentou o responsável máximo da tuna, a decoração interior que tem vindo a ser preparada está, não só preocupada em surpreender o público, como em trazê-lo "para dentro da atuação dos Tunídeos", que, este ano, se inspira nos corsários e irá dar a conhecer o novo original daquela tuna masculina: 'Heróis do Nada'.

Os Tunídeos, refira-se, abrem o serão musical de sexta-feira, dividindo o palco com o grupo de gaitas transmontanas da Associação Tradições – Urro das Marés e encerram o evento, com a última atuação da noite de sábado.

"A irreverência e o espírito tunideano" não vão faltar, assegurou o dirigente da tuna organizadora, que se mantém apostada em garantir um bom momento a todos aqueles que venham a assistir ao El Açor.

"O nosso objetivo é satisfazer o público e fazer com que ele saia [do Coliseu] com um sorriso de orelha a orelha (...) É algo que se renova de ano para ano e temos a certeza que vamos conseguir cumprir com essa premissa, outra vez", sublinhou Bruno Oliveira.

Para além das tunas masculinas a concurso e das atuações dos Tunídeos, o festival conta ainda com a participação (num registo extra-concurso) de três tunas da Universidade dos Açores: TAUA, Tuna Com Elas e Enf'In Tuna.

O certame académico junta, assim, cerca de 350 elementos de tunas, e as expetativas quanto à adesão do público são as melhores. Como lembrou o magister da tuna anfitriã, ao longo das várias edições do El Açor, tem-se "quase sempre conseguido encher o Coliseu", pelo que a previsão é a de que o mesmo possa acontecer este ano.

Esta décima nona edição do evento conta com um "número acima da média" ao nível dos participantes a concurso, sinalizou o organizador, para quem o sucedido encontra razão no facto de os Açores serem um destino "cada vez mais na moda" e o El Açor "ter já um nome" e "ser reconhecido" no universo tuneril em Portugal continental.

Os bilhetes estão à venda no bar da Universidade dos Açores, entre as 9h00 e as 16h00 e, no Coliseu Micaelense, entre as 16h30 e as 19h00. Nos dias dos espetáculos, os ingressos poderão ser adquiridos na bilheteira do Coliseu até às 22h00.

Os serões musicais dos dias 16 e 17 de março prolongam-se com duas 'after-party' que irão ter lugar no Complexo de Ciências Humanas da Universidade dos Açores.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.