Deputados do PSD/Açores na AR avançam com projeto de resolução sobre o BANIF

Deputados do PSD/Açores na AR avançam com projeto de resolução sobre o BANIF

 

AOnline/LUSA   Regional   13 de Jan de 2018, 12:30

Os deputados do PSD eleitos pelo círculo dos Açores para a Assembleia da República subscreveram um projeto de resolução a recomendar ao Governo que parametrize a resolução da problemática dos lesados não-qualificados do BANIF.

Berta Cabral e António Ventura defendem novas soluções, "que ponderem a utilização de comissões arbitrais, sujeitas a regras de equidade, para encontrar um perímetro de lesados não-qualificados a abranger por eventuais soluções comerciais".

Os parlamentares, citados em nota de imprensa do partido, defendem a necessidade de, simultaneamente, "proteger o erário público e menorizar as perdas dos lesados não abrangidos pelo memorando atualmente existente para o papel comercial".

De acordo com deputados social-democratas, as comunidades portuguesas emigradas, nomeadamente nos Estados Unidos da América e no Canadá, “depositaram as suas poupanças e simultaneamente a sua confiança na banca portuguesa".

Na sua opinião recuperar a confiança no setor bancário "passa irrefutavelmente pelo seu restabelecimento junto das comunidades portuguesas no estrangeiro, nos países referidos e ainda em França, no Reino Unido, Venezuela e África do Sul".

Berta Cabral e António Ventura consideram que "tem sido evidente a dura realidade vivida pelos lesados não-qualificados excluídos do âmbito da lei em vigor", sublinhando-se "os indícios de irregularidades na comercialização dos produtos financeiros do BANIF bem como a média de idades e o perfil de muitos dos lesados não-qualificados".

Os deputados do PSD concluem que existe "um sentimento de injustiça relativa, gerado pelo facto de o Governo ter definido uma solução para alguns dos clientes lesados, deixando todos os outros para trás".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.