Câmara da Lagoa aprova orçamento superior a 11 ME

Câmara da Lagoa aprova orçamento superior a 11 ME

 

Lusa/AO online   Regional   24 de Nov de 2017, 16:00

A Câmara da Lagoa, nos Açores, aprovou esta sexta-feira por maioria o orçamento para 2018, no valor de 11,6 milhões de euros, disse a presidente do município, destacando a valorização da frente marítima como o grande projeto incluído no documento.


“Obviamente que é o projeto para o município para os próximos anos e que aguardamos a candidatura a fundos comunitários para que possamos dar rapidamente passos nesta matéria”, afirmou Cristina Calisto (PS) em declarações à agência Lusa.

Segundo a presidente daquele município da ilha de São Miguel, o orçamento foi aprovado em reunião de câmara com os votos favoráveis da maioria do PS e dois votos contra de dois eleitos do PSD, acrescentando que o documento será submetido para aprovação da assembleia municipal, onde os socialistas têm também maioria.

De acordo com a autarca, o orçamento para o próximo ano tem "o total de 11.673 milhões de euros", salientando que há um acréscimo em relação ao ano passado.

Este aumento "tem a ver com um acréscimo de 1,5% das transferências do Orçamento do Estado, enquanto o restante está relacionado com as verbas a receber de candidaturas já aprovadas a fundos comunitários referentes ao parque industrial do Chã Rego de Água, a modernização administrativa e uma “Smart Citie”, que tem como objetivo colocar a tecnologia ao serviço dos cidadãos", facilitando o acesso a um conjunto de serviços, explicou.

Como projeto de grande relevância, destacou a valorização da frente marítima da cidade da Lagoa, uma zona com "um potencial enorme".

"Trata-se de criar uma zona de acesso pedonal e ciclovia que permita aos munícipes, mas também aos visitantes, a circulação junto à orla marítima, potenciando a mobilidade, um ambiente sustentável, numa relação entre a terra e o mar", sublinhou.

As infraestruturas do loteamento da Ribeira Chã, a recuperação do Cineteatro Ferreira da Silva, a construção do mercado municipal, a realização de obras em algumas sedes de edifícios de natureza cultural, como filarmónicas, a par da requalificação do Jardim Nossa Senhora dos Anjos e da Praça do Rosário, são outras das apostas do orçamento da Lagoa para 2018.

Cristina Calisto sublinhou ainda que outras das áreas estratégicas para o executivo camarário para o próximo ano é o turismo e lazer que, juntamente com as questões de natureza ambiental, representam 12% do orçamento.

O orçamento está ainda dotado com uma verba de 200 mil euros destinados à educação e cultura e 350 mil euros para a temática do desporto e da juventude.

A presidente da Câmara Municipal da Lagoa referiu que as medidas de ação social continuam a ter um peso significativo, com "400 mil euros no orçamento", destinados em particular ao apoio das famílias que se encontram "numa situação de maior fragilidade".

Para as instituições desportivas, culturais e sociais do concelho está destinada uma verba total de 400 mil euros, enquanto as juntas de freguesia contarão com cerca de 240 mil euros.

Cristina Calisto adiantou que o orçamento participativo jovem é uma medida que se vai manter em 2018.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.