Biblioteca de Angra evoca Dia Internacional das Vítimas do Holocausto

Biblioteca de Angra evoca Dia Internacional das Vítimas do Holocausto

 

AOnline/LUSA   Regional   14 de Jan de 2018, 11:05

Alunos do secundário de Angra do Heroísmo recordam este mês as vítimas do Holocausto, integrando atividades que representam o antes, o durante e o pós-Holocausto, para que as gerações mais novas possam refletir sobre o acontecimento.

“Nos dias 25 e 26 de janeiro, que antecedem o Dia Internacional das Vitimas do Holocausto, a 27, a biblioteca, em parceria com o Clube de Jazz, vai assinalar a memória de um acontecimento, o Holocausto, uma data que não deve ser esquecida pelas gerações mais novas”, disse à agência Lusa a diretora da Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

Cláudia Cardoso adiantou que a iniciativa para assinalar a data instituída pelas Nações Unidas tem como público alvo os alunos do ensino secundário das escolas do concelho de Angra, já que "as gerações mais jovens muitas vezes desconhecem o impacto e a grandeza" deste acontecimento e "a forma como ele mudou a maneira de ver e pensar o mundo".

“É um evento de grandes dimensões sobre o qual já passaram mais de 70 anos e as gerações com mais idade tem alguma memória deste acontecimento, mesmo que não o tenham vivenciado diretamente”, explicou, referindo que é a primeira vez que a biblioteca evoca o Dia Internacional de Memória das Vítimas do Holocausto durante a II Guerra Mundial.

A responsável da Biblioteca Luís da Silva Ribeiro salientou que o objetivo é alertar os jovens sobre "a dureza do Holocausto".

"Muitas vezes há a tentativa de branqueamento de fazer parecer que não foi assim que aconteceu e é fundamental ter uma consciência histórica dos acontecimentos também para permitir que possamos evitar que se repitam", sustentou Cláudia Cardoso.

Durante dois dias estarão em exposição, na biblioteca, cartazes alusivos ao acontecimento, numa representação fotográfica do antes, o durante e o pós-Holocausto e a libertação dos campos de concentração.

Além desta exposição, haverá ainda na quinta e na sexta-feira uma palestra sobre o campo de concentração de Terezin, em Praga, e uma atuação do Combo Live Jazz, grupo musical formado por músicos da Terceira, numa homenagem aos Ghetto Swingers, um grupo de jazz formado naquele período.

"Trata-se de assinalar e não deixar passar em branco um acontecimento que teve uma repercussão mundial estrondosa e que poderá eventualmente um dia voltar a acontecer. E para evitar que aconteça nada melhor do que reavivar a memória", reforçou ainda a responsável.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.